Plastech Brasil 2015 atinge maior público de sua história

Blog

 A Plastech Brasil 2015 chega ao final nesta sexta-feira (28) quebrando o próprio recorde de público, com o credenciamento de aproximadamente 25 mil pessoas desde a abertura, na terça-feira (25). Para completar, a quinta-feira (27) registrou o maior fluxo de visitantes em um único dia, desde a primeira edição do evento, em 2007, com mais de 8,5 mil pessoas passando pelos portões do Parque de Exposições da Festa da Uva. A sexta edição da exposição realizada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) já está marcada para a semana de 29 de agosto a 1o de setembro de 2017, em Caxias do Sul (RS).

Outro êxito se configurou no Fórum Plastech Brasil, que logo na estreia como principal atração da programação paralela já atraiu 400 participantes para 12 atividades. No total, considerando-se a agenda nos turnos simultâneo e contrário ao da feira, que transcorre entre a tarde e a noite, foram desenvolvidas 14 ações, incluindo-se as duas rodadas de negócios – uma nacional, gerenciada pelo Sebrae, e outra internacional, sob o comando do programa Think Plastic Brazil, desenvolvido em parceria com a Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Apenas no Fórum Plastech Brasil foram três encontros de lideranças empresariais e governamentais, três jornadas de capacitação técnica totalmente gratuitas (uma delas com foco específico em exportação, por meio do Programa de Incentivo à Competitividade da Cadeia do Plástico) e três painéis setoriais. A Rodada de Negócios do Sebrae chegou a um total de 90 encontros oportunizados, enquanto o Projeto Comprador, do programa Think Plastic, cravou a marca de 80 reuniões entre candidatos a aquisições e vendas.

“Uma feira de negócios permite muito mais do que apenas vender. Vender é só o que alguns veem na superfície do evento. Uma feira permite estabelecer contatos, fechar parcerias, se apresentar no mercado, enxergar o que o concorrente está fazendo e, a partir disso, desafiar a própria criatividade a fazer melhor. Neste sentido, estamos muito satisfeitos, porque tanta gente mostrou compreensão do que estamos fazendo aqui”, declarou o presidente da Plastech Brasil, Orlando Marin.

Para o presidente do Simplás, Jaime Lorandi, os números tornam-se ainda mais expressivos quando expostos à realidade econômica atípica vivida pela maioria dos empreendedores.

“O momento é de muita incerteza. E pudemos ver que muitos negócios encaminhados durante a feira podem ainda levar algum tempo para se concretizar, porque as pessoas estão preocupadas, aguardando o que vai acontecer com o país nos próximos meses”, explicou.

A expectativa é de muitas articulações iniciadas durante a Plastech Brasil 2015, especialmente em função do grande fluxo de público, comecem a se efetivar nos próximos meses.

“Não chegamos tão longe quanto gostaríamos. O momento não deixou. Mas crescemos. Mexemos com o mercado. Oferecemos oportunidade para quem queria fazer negócio. Então, também não deixamos o momento nos prejudicar tanto quanto poderia. É uma vitória”, resumiu Marin.


8 toneladas de resíduos recolhidos e três escolas premiadas

Desde a cerimônia de abertura, Orlando Marin havia deixado claro que a cifra mais digna de comemoração da Plastech Brasil 2015 já era conhecida antes mesmo de a feira começar. E tinha menos a ver com negócios do que com humanidade e futuro.

Bastante emocionado, o presidente da feira celebrou as oito toneladas de resíduos recicláveis recolhidas pela mobilização entre professores, alunos e famílias ligados a 42 escolas de educação infantil da rede pública municipal de Caxias do Sul. Graças ao projeto Recicla Plastech Brasil, parte delas estão sendo transformadas em 1,2 mil lixeiras, que serão doadas a 600 ambientes escolares em conjuntos: uma verde, para os descartes orgânicos, e outra amarela, para os reaproveitáveis – no mesmo sistema de cores da coleta urbana de Caxias do Sul, para facilitar a assimilação por parte das crianças.

E também foram conhecidas as três escolas com maior volume de resíduos recolhidos, a maioria na forma de embalagens plásticas, que serão premiadas com aparelhos retroprojetores (datashow): Geny Adélia Dalle Molle (bairro São Cristóvão), com 764,66 quilos; Dolaimes Stédile Angeli (bairro Centenário), com 514,11 quilos; e Vovó Phelomena (bairro Serrano), com 440,02 quilos. A entrega, tanto das lixeiras, quanto dos prêmios, ocorrerá nos próximos dias, após o encerramento da Plastech Brasil 2015.

“Isso sim é algo de se emocionar. Isso é um exemplo para todos nós. Por isso temos tanto orgulho desse projeto. Porque envolve as crianças, as famílias e as escolas, para mostrar que podemos e devemos ter um mundo melhor no futuro”, concluiu Marin.

Foto: Gabriel Lain

Curta e compartilhe:

Comenta aí, esse conteúdo foi útil para você?

Confira também:

As 8 maiores vantagens de transportar produtos em caixas plásticas

Cadeia de suprimentos: afinal, o que é e porque é importante?

Cidade holandesa será 1ª a ter estrada de plástico reciclado