Organização de estoque: saiba como evitar o mau armazenamento

Blog

Organização de estoque: saiba como evitar o mau armazenamento

A organização de estoque é um investimento, e sua gestão, uma necessidade real para não perder dinheiro. Por isso, a falta de controle nessa atividade, inevitavelmente, provocará prejuízos, como perdas de mercadorias, deterioração e, até mesmo, extravio. Nesse cenário, a falta de processo e atividades manuais de procedimentos podem deixar a situação ainda pior.

Isso porque, muitos produtos, como, por exemplo, alimentos frios, precisam de condições específicas de armazenamento. Assim, a organização deve apresentar uma sequência de ações integradas, voltadas para o rápido atendimento das demandas, e manter, ao mesmo tempo, a capacidade de entrega com qualidade e eficiência.

Separamos, neste post, algumas dicas sobre organização de estoque para que você evite o mau armazenamento. Acompanhe!

 

Organize o estoque logo na chegada das mercadorias

A primeira etapa da organização de estoque tem início com o recebimento dos produtos. O armazém deve contar com uma temperatura adequada para receber os itens, que precisam ser posicionados de acordo com suas características.

No recebimento, é preciso contar com um profissional atento para checar as condições dos produtos, principalmente de alimentos frios e com data de validade curto.

É importante, também, trabalhar com a conferência dos itens de acordo com a nota fiscal e o pedido e criar um endereçamento para o setor de estocagem, identificando, na etiqueta da mercadoria, a data de validade, as condições de temperatura e outros detalhes importantes para se evitar, como, por exemplo, a contaminação.

 

Controle a temperatura do estoque

A organização de estoque de alimentos requer atenção redobrada quando a questão é temperatura. Isso porque existem alimentos que devem ser estocados de acordo com suas propriedades de conservação.

Os alimentos frios, por exemplo, precisam de baixas temperaturas. Alimentos em grãos precisam de temperatura ambiente, e outros, de temperaturas quentes.

Sabendo dessas necessidades, é preciso identificar qual é a melhor temperatura para cada tipo de alimento, a fim de mantê-lo conservado por mais tempo. 

Fazer o monitoramento da temperatura controlada é o grande segredo para evitar perdas oriundas de variações de temperatura que extrapolam a margem indicada para conservação.

 

Defina datas e períodos para compras

Para manter uma melhor organização de estoque e evitar perdas, é importante programar as compras com o seu fornecedor de acordo com a previsão de pedidos de saída do estoque. Para isso, escolha bem seus parceiros comerciais, de acordo com a demanda dos clientes, pois isso é determinante para diminuir os riscos de falta dos produtos.

Bons parceiros ainda negociam prazos de pagamento, o que contribui para a organização financeira do negócio. Ao mesmo tempo, antecipar pedidos por demandas previsíveis auxilia na conquista de condições mais atraentes de negociação, já que deixar para comprar na última hora oferece margem para a cobrança de preços mais altos.

Além disso, com um cronograma de compras, você não corre o risco de ficar muito tempo com produtos perecíveis no estoque, garantindo sempre produtos frescos e de qualidade para seus clientes.

 

Fique atento ao acondicionamento

As embalagens são os primeiros fatores a serem considerados ao se transportar e estocar alimentos perecíveis.

Vale a pena ressaltar que o termo “embalagem” não diz apenas respeito à caixa que acondicionará o produto alimentício, mas também aos contentores, contêineres e paletes que abrigarão o alimento/produto desde a fase de estocagem até o deslocamento ao comércio, que repassará a mercadoria para o consumidor final. Uma embalagem pode ter a função:

  •  primária: é aquela que embala o alimento e está no varejo para o cliente final;
  • secundária: pode ser um plástico filme ou uma bandeja que acondiciona a embalagem primária, para que ela chegue perfeitamente no ponto de venda;
  • terciária: corresponde aos contentores, que unitizam as embalagens secundárias e tornam mais prática a movimentação da carga nos processos de logística e estocagem;
  • quaternária: corresponde aos paletes padrão PBR (usados nacionalmente), que anulam as embalagens terciárias para a logística;
  • quinária:  é utilizada para o transporte, podendo ser tanto a refrigerada padrão ISO (universal), quanto o contêiner isotérmico ou o empacotamento especial.

 

Capacite e treine a equipe de estoque

Treinar a equipe de estoquistas é fundamental para garantir a qualidade do controle final da armazenagem. O perfil desse profissional deve ser o de uma pessoa atenta, com fácil relacionamento interpessoal, e ele também precisa ter senso de organização e conhecer a matemática básica.

Com o perfil alinhado à vaga, é importante oferecer treinamento e cursos de reciclagem para que todos estejam alinhados às boas práticas de armazenamento, que incluem um bom senso de higiene e organização.

Além disso, você pode capacitar funcionários que agirão como multiplicadores do conhecimento para avaliar questões do estoque, como condições de higiene, controle de pragas, temperatura e umidade.

 

Cadastre e controle corretamente os produtos

O código de barras é o sistema mais utilizado para o controle do transporte de produtos até o ponto exato para sua armazenagem. Com a identificação por meio do código de barras, é possível controlar os itens e encontrá-los mais facilmente no estoque, consultando seu registro no sistema de gestão.

Além dessa facilidade, a administração do estoque por meio de programas de gestão possibilita a manutenção do controle sobre a necessidade de reposição de itens, e consequentemente, você terá um estoque sempre atualizado.

Também é possível fazer um inventário rotativo ou cíclico. Esse é um processo eficaz, que faz a contagem contínua dos produtos em estoque, com uma frequência estabelecida previamente, mantendo, assim, os dados no sistema de gestão sempre atualizados, com o controle das quantidades para que a estocagem consiga suprir as demandas necessárias do negócio.

É preciso dedicação para que se consiga eliminar as causas do mau armazenamento de estoque e executar tarefas de forma preventiva, com o objetivo de se evitar as perdas de mercadorias, principalmente as perecíveis, como alimentos resfriados ou congelados.

Como vimos, investir em planos e tecnologias estratégicas é fundamental para estar à frente da concorrência e oferecer a segurança alimentar necessária na hora da estocagem. Comece, hoje mesmo, a repensar na eficiência do seu armazém!

Se você gostou deste artigo sobre organização de estoque, curta nossa página no Facebook para acompanhar mais conteúdos como esse!

 

Curta e compartilhe:

Comenta aí, esse conteúdo foi útil para você?

Confira também:

As 8 maiores vantagens de transportar produtos em caixas plásticas

Cadeia de suprimentos: afinal, o que é e porque é importante?

Cidade holandesa será 1ª a ter estrada de plástico reciclado